Uma atitude amorosa (autor Ricardo de Faria Barros)


Um dia fomos já fomos mais amorosos.
Amorosos da alegria, amorosos da esperança.
Brincávamos com areia, pés no chão, fantasias mil.
Éramos amorosos da vida.
Para encontrá-la: a vida, em sua amorosidade plena, os mínimos recursos de tempo e lugar eram necessários.
Tudo poderia ser transformado com um simples toque amoroso.
O quintal velho, cheio de tralhas, transformava-se num palácio, onde a jovem e bonita criança fingia ser o rei ou rainha, ou até o valente guerreiro que iria resgatar a donzela.
Amorosos. Ah! Como era bom quando éramos amorosos.
Depois, “crescemos” e aprendemos a franzir o cenho, a trapacear com a vida, a sequestrar o desejo, a entupir os vasos das emoções boas.
A nos alienar de nosso eu maior.
Pois, a fomos sendo alimentados com alimentos podres e sem vida, matéria da qual se constitui os medíocres.
Os dias se passaram e, quando olhamos nossas fotos infanto-juvenis, não nos reconhecemos mais. Profissionalizamos a relação com o próximo, instrumentalizando-a, coisificando-o.
Acredito que nos tempos atuais nada é mais revolucionário do que pessoas amorosas.
Ser amoroso é atitude. Ser amoroso é verbo que pedem ações concretas.
É cuidado.
É admiração.
É respeito.
Ser amoroso é despir-se e permitir que o outro faça em nós morada.
Ser amoroso é sentir a presença do amor, mesmo a quilômetros de distância, irradiando fé e fortaleza em nosso caminhar.
Ser amoroso é ter uma razão para voltar para casa.
Ser amoroso é elevar o coração, em poética prece, quando ilumina na retina uma árvore em flor, um luar, um pôr do sol, ou uma criança que brinca .
Mas não é fácil ser amoroso. É que a gente se acostuma com migalhas.
E, pr não receber amor, acabamos nos privando de doá-lo. Sim, caros amigos, amor é doação.
É como se ao nascer recebêssemos um remédio de nome: poção de “amor”. Só que perdemos a receita que o acompanhava. Nesta estava escrito: “quanto maior o uso, em doses oportunas e na medida, mais conservadas ficarão a quantidade e a natureza deste precioso remédio”.
Como “perdemos a receita”, entendemos que aquela poção deveria ser cuidadosamente guardada e conservada, utilizando-a em pequenas doses e parcimoniosamente.
De tanto guardar, reter e conservar ela apodreceu e adoecemos. Em nosso ser, chagas visíveis de feridas narcisísticas. Em nosso ser, um coração apodrecido, dissimulando sua tristeza através de uma relação de ódio, poder, ter e “prazeres anestésicos” com os que nos rodeiam. Tristes, apáticos e opacos vamos conduzindo-nos como quem carrega seu próprio ataúde. Apenas sobrevivendo como plantas longe do sol.
O antídoto a isto tudo você sabe bem qual é. Quando uma voz grita no seu ser e diz “subverta a ordem reinante”. É a sua criança, rebelde e liberta, que apela para melhores dias.
Deixe esta criança agir em você. Você lembra a última loucura que realizou inebriado pela “droga” do amor?
Faz muito tempo?
Uma flor que remeteu para sua filha. Um mimo que comprou de surpresa para o filho. Um telefonema chamando a namorada para um prosaico piquenique, após o trabalho, e longe da rotina do dia-a-dia.
Ser amoroso é ousar. É expor-se a riscos, alguns imaginários outros reais.
Ser amoroso remete à instabilidade e ao desequilíbrio, talvez por isso os verdadeiros amorosos sacudam o pó da monotonia e consigam transformar “velhas em novas todas as coisas”.
Pessoas que cultivam a amorosidade conseguem, periodicamente, retirar a pasta que se acumula nos seus olhos que, como um filtro, as impede de sorrir, encantar-se com o outro, recomeçar, acolher, perdoar e crescer no Ser +.
Amorosos acreditam que os dias são urgentes. Que o efêmero fulgor da felicidade deve ser vivenciado em sua plenitude. Amorosos não sabem quando será o próximo “encontro”, portanto vivem o de agora, com intensidade redobrada.
Ser amoroso é florir, mesmo entre espinhos, continuando esperançando a vida, contra toda desesperança. 

2 comentários:

  1. Putz,
    Verdade da mais pura ...
    Abs do "Galinhada com Pequi"

    ResponderExcluir
  2. sensacional..vc é mto bom nisso..realmente...diz tudo q se quer dizer de uma forma rica, sensata, sensível. e direta. Parabéns!!!

    ResponderExcluir

Seu comentário é uma honra.

Crônicas Anteriores