Litro de Luz (autor Ricardo de Faria Barros)


Era início da disciplina Liderança no IBMEC-DF, e aquele mesmo frisson pedagógico apareceu na barriga. Lá pelas tantas, o debate sobre liderança estava intenso.
Com os alunos trazendo exemplos de líderes carismáticos, até que eu os provoquei com a frase: Será que líderes também não são as pessoas comuns que fazem coisas incomuns?
Reposicionando o debate da competência da liderança para além de líderes como o Papa Francisco, por exemplo.
Aí, um dos alunos lembrou-se de seu amigo, que mobilizou muitos jovens aqui do DF para levarem postes de luz para o Norte do País.
Uma tecnologia social desenvolvida pela ONG Litro de Luz que leva lâmpadas de led, alimentadas por uma bateria solar, afixadas em prosaicos postes de pvc.
Será a maior ação da Litro de Luz mobilizando todos os seus voluntários país afora, para iluminarem caminhos na vida das pessoas ribeirinhas.
Ele me falou que seu amigo abriu mão da festa de formatura de seu curso, para investir nos postes e passagens.
E que, como ele, os outros tantos jovens do DF fizeram esforços descomunais, num desprendimento invejável, para irem na missão.
E foram além. Nas suas bagagens que nesse momento estão sendo despachadas, aqui em Brasília (21h20min de 10/03/2017) eles não levam suas roupas, sapatos e adereços.
Levam presentes para as crianças ribeirinhas, comprados por eles mesmos, passando a sacolinha nas suas famílias.
Vão investir os 23 quilos, das malas que podem ser despachadas, com presentes. Na mochila de mão, que com ela embarcarão, levarão seus pertences pessoais, pouca coisa: suas cuecas, calcinhas, duas camisas, um tênis e um jeans. E, pra que mais?
Abriram mão de seu conforto estético para que pudessem mais crianças serem presenteadas.
UAUUU!!!
Esse vôo é de luz.
Esses jovens são luz.
Seus pais são luz.
Essa ONG é de luz (Litro de Luz) Veja a página deles emhttps://m.facebook.com/umlitrodeluzbrasil
Quem disse que os jovens não participam? Quem disse que os jovens só querem chegar na janelinha, sem esforço?
Quem disse que os jovens são alienados?
Pelos menos esses aqui do DF são esperança de um mundo melhor. De um outro mundo possível. Levando cem postes de luz para o Norte.
Os jovens estão em busca de propósito, querem deixar um legado e transformar o local em que vivem.
Só precisam de estímulo.
Só precisam de causas tocadas por pessoas coerentes, exemplares, para lhes inspirarem.
Só precisam sentir que a proposta é decente, que não tem enganação.
Aí eles desabrocham. Se haverá mudança em nosso país será pelos jovens.
Jovens que se engajam em causas como essa, ou em tantas outras, como o Rodas da Paz, também aqui no DF.
Como senti orgulho de seus pais.
Que criação bacana deram aos seus filhos que suscitou esse olhar de doação e generosidade ao outro.
Como imaginei a cena daquela mãe, que esperou 4 anos pela festa de formatura de seu filho, e ouviu dele que não queria aquilo para si. Queria investir aquele dinheiro nos outros, doando-se aos outros.
Como ela deve ter ficado, a princípio sem chão: “Como assim? Não vai ter beca”?
E, hoje ao se despedir de seu garotão, recebeu a maior beca que uma mãe pode receber, aquela que a vida nos dá, quando nossos filhos fazem o bem ao próximo - nas missões em que se envolvem.
Tem diploma melhor?
Tem festa melhor?
Tem beca melhor do que esta?
A humanidade está cheia de pessoas assim. Só precisam de espaço de divulgação, numa mídia e rede social que só seleciona manchetes de degradação social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é uma honra.

Crônicas Anteriores