Cartas ao JG.









Filho, na tua vida esse vídeo acontecerá muitas vezes. Gente que perdeu o gol e usa de artimanhas para tentar novamente. Gente que vai querer te passar a perna, usando de meios ilícitos.
Na vida tu vai fazer gols de letra. Vai levar frangos, mesmo quando alguém especial torce por ti. Vai ter de tudo.
O que te recomendo?
A mesma postura desse teu primeiro treino.
A de não desistir. A do otimismo insano e do pensar positivo.
Pois, as coisas sempre poderão melhorar.
A de não buscar culpados. A de não ficar chorando à margem do campo, apelando para injustiças que sofreu.

Lembra que cada um só podia bater um pênalti?
E que você pegou o primeiro?
Lembra que o amiguinho protestou e convenceu o técnico a bater mais um, e você não conseguiu agarrar?
Lembra que não desistiu, fez birra, ou protestou?
Apenas acreditou que quando chutasse poderia virar o jogo, em 2 x 1, lembra?

Assim é a vida.
Nela, nem sempre ganhamos, nem sempre perdemos, mas podemos aprender a jogar... como diz a poesia. Mas, precisará ser sábio o suficiente para nutrir esperanças boba e novas, e a cada momento. Como fez hoje e me emocionou. Você só queria jogar. Ganhar ou perder não importaria. Você só queria participar, brincar, se envolver com algo que te desse um sentido maior.
Não sem razão teu técnico vibrou com teu gol, Ele sacou que pisou na bola ao permitir que o outro jogador batesse dois pênaltis contra ti.
Quarenta e cinco anos nos separam nesse 2014.
Mas, vejo em ti tanto de mim. Corra filho... corra que te aguardo ao lado do campo e sempre. Para te apoiar, animar e vibrar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é uma honra.

Crônicas Anteriores